Menu

Dólar passa a cair, em dia de sobe e desce.

O dólar opera com instabilidade nesta quarta-feira (3), com investidores preocupados sobre a capacidade do governo do presidente interino Michel Temer de aprovar no Congresso Nacional medidas de ajuste econômico, segundo a Reuters. Além disso, o movimento acompanha os mercados externos após dados mais fortes que o esperado sobre o emprego nos Estados Unidos.

Às 15h02, a moeda tinha queda de 0,67%, a R$ 3,2440 na venda.  Veja a cotação do dólar hoje

Acompanhe a cotação ao longo do dia:
Às 9h10, alta de 0,13%, a R$ 3,2704
Às 9h20, queda de 0,02%, a R$ 3,2654
Às 9h49, alta de 0,22%, a R$ 3,2733
Às 10h40, alta de 0,72%, a R$ 3,2899
Às 11h39, alta de 0,36%, a R$ 3,2779
Às 12h50, queda de 0,06%, a R$ 3,2643
Às 13h30, queda de 0,39%, a R$ 3,2535
Às 14h10, queda de 0,61%, a R$ 3,2462


"Está crescendo a desconfiança do mercado de que não vai ser nem um pouco fácil para o governo conseguir apoio no Congresso para as medidas necessárias", disse à Reuters o operador da corretora B&T Marcos Trabbold.

Na noite passada, a Câmara dos Deputados adiou para a semana que vem a votação do projeto de renegociação das dívidas dos Estados junto à União, mesmo após o governo ceder em alguns pontos. Segundo a Reuters, investidores temem que o atraso reflita dificuldade mais ampla do governo para obter consenso entre os parlamentares, possível entrave para o ajuste das contas públicas.

Cenário externo
O movimento do dólar no Brasil também vinha em reação à criação maior que esperada de vagas no setor privado dos Estados Unidos em julho, que alimentou expectativas de que o relatório de emprego que será divulgado na sexta-feira também mostre bom desempenho.

A preocupação vem porque o Federal Reserve, banco central norte-americano, aguarda sinais de recuperação na economia do país para subir os juros por lá. Juros mais altos nos Estados Unidos atrairiam para lá recursos aplicados atualmente em outros mercados, motivando uma tendência de alta do dólar em relação a outras moedas, como o real.

O dólar avançava em relação às principais moedas emergentes, como os pesos chileno e mexicano.

Atuação do BC e fluxo externo
Nesta manhã, o Banco Central brasileiro vendeu novamente 10 mil swaps reversos, contratos que equivalem a compra futura de dólares. o BC vem atuando dessa forma quase diariamente desde o mês passado.

O BC informou que a entrada de dólares superou a retirada de recursos no país em US$ 1,29 bilhão no mês de julho. O ingresso de recursos acontece após dois meses de retiradas. No acumulado dos sete primeiros meses deste ano, porém, ainda há mais saída do que entrada de recursos no país.

Último fechamento
Na véspera, a moeda norte-americana recuou 0,18%, vendida a R$ 3,2661. No ano, o dólar recua 17,8%.